sexta-feira, 30 de abril de 2010

Tudo que já tive

Com o aroma de grama encharcada o sol se põem timidamente atrás destas nuvens carregadas. Olho tudo ao redor, há prédios e casas. Há crianças rindo e bebês chorando, casais iludidos e namorados apaixonados. Fico a observar essa multidão que passa alimentando a contagem das horas.
E de repente algo me chama a atenção. Um senhor de cabelos grisalhos e pele cansada ensinando o neto a andar de bicicleta na beira do lago.
Isso me lembrou tudo o que já tive um dia, infância, bonecas e inocência. Uma corrente nostálgica me arrasta para o ontem. Eu posso notar a velocidade com que os dias passaram e sinto o toque da responsabilidade no peso de uma lágrima que marca meu rosto. Ainda tão menina para um histórico adulto. Recordo-me dos invernos rigoros e dos verões inesquecíveis, das amizades que duram até hoje e das amizades que duraram apenas algumas horas. Há, ainda, as cicatrizes de um revés que já apaguei daqui.
Ainda ontem eu firmei a sola dos meus pés no chão e dei um salto, acordei e já era hoje. O mundo adquiriu novas formas de repente. Ganhei e perdi, reaprendendo pequenos gestos humanos e conquistando a paixão pela vida.
Pisco com o olhar pesado e aqui já faz noite. E, de novo, as horas passaram.Surgem outras pessoas, outros avós e outros netos. E eu sei, que um dia vou lembrar-me deste parque, desta grama e desta noite sem luar. E mais dias virão.

Mais selinhos =D

Meus agradecimentos a Taynara [ http://trueslove.blogspot.com/ ]



Meus agradecimentos a: Filipe Costa http://lipeh-costa.blogspot.com/ Drika Sales http://drykasales.blogspot.com/ Carla Silva http://carlinhamenina.blogspot.com/ Ana Tereza http://anateresacdp.blogspot.com/

Obrigada a todos! =D

quarta-feira, 28 de abril de 2010

Lá onde mora a felicidade

Já em tempo, a noite dá o ar de graça e impaciente saio em meio à poeira, vagando pelas ruas de um lugar afastado. E estes faróis que surgem de uma encruzilhada distante e, ao ritmo dos meus passos hesitantes, aproximam-se. Para onde vão estes carros? O que há neste caminho além da brisa fria, que sem graça toca de leve minha face.
Sem pressa continuo alimentando minha curiosidade e contando os passos, um após o outro. Então, reparo que a lua já tem um novo formato. Ainda ontem riscava o céu com um tímido traço em curva, hoje a lua preenche o vazio dessa imensidão negra com uma bola maciça.
O desejo exagerado de ver e saber além me apressa. O que pode haver do outro lado, será que é lá onde mora a felicidade? Ainda olho para os lados e nada posso ver. Está tão escuro por aqui.
Incomoda-me parecer a única caminhando diante desta vitrine de estrelas. Teimando e sustentando com inquietação os meus passos, me pergunto se já é tarde demais, pois aos poucos o fluxo de faróis diminui.
Eu não quero parar. Quero caminhar até lá e alcançar o que, daqui, os meus olhos não podem. Sem sucesso, brigo com as horas, na tentativa de enganar o cansaço.
Os carros já não fazem poeira no asfalto e eu perco a direção do vento, que me levaria até onde eu julgo estar a felicidade.
Isolada do mundo e vencida pela exaustão, resta-me o caminho de volta. O caminho pra casa.

segunda-feira, 26 de abril de 2010



Meus agradecimentos a Jade ;D

http://pateticamenteincorreta.blogspot.com/
Meus agradecimentos a Sílvia =)
Obrigada a todos os seguidores e a todos os leitores pelo espírito crítico nos comentários !!!


repassando selo:
http://aartedeumsorriso.blogspot.com/
http://drykasales.blogspot.com/
http://limiarsentidos.blogspot.com/
http://comoeulevoavida.blogspot.com/
http://clarissalamega.blogspot.com/

Muito obrigada ;D
Obrigada pelo selo Joana =D

As regras:

-exibir a imagem do selo no blog
-exibir o link do blog que você recebeu a indicação
-escolher 10,15 ou 30 blogs para dar indicação

-e avisá-los

Blogs:

http://quandoeumechamarsaudade.blogspot.com/
http://viviansbrussi.blogspot.com/

http://adolescenciasentimetoseverdade.blogspot.com/

http://allthatsamba.blogspot.com/
http://pudescritora.blogspot.com/
http://alemdamaascara.blogspot.com/
http://silvinhahba.blogspot.com/

http://palavraemvao.blogspot.com/
http://desirre-momentos.blogspot.com/
http://icecreampeach.blogspot.com/

Estes são apenas alguns dos muitos blogs bons que lembrei =)

domingo, 25 de abril de 2010

Já me perdi assim

Um fim de tarde lilás e deixo-me levar pela graciosidade duvidosa que reflete através destes olhos ingênuos e desconhecidos. É estranho sentir seus dedos entrelaçando os meus. Sem pensar, eu deixo. O seu sorriso rouba meu juízo e sua presença brinca com o meu desejo, que incendeia com o calor de um abraço. Meu desígnio é reciclar este momento em uma caixinha a sete chaves.
O silêncio de nossas palavras e o vento apaixonado que soa delicadamente à face alivia a saudade do que ainda não tive.
Um gesto sutil e seu lábio se encontram ao meu, já impaciente de desejos. Minha sensibilidade dança equilibrando-se em uma corda fina.
Me dê a sua mão. Me dê a sua boca. Deixe-me sentir esta intensidade que me toma sem pensar. Deixa a ilusão alimentar o instante.
Mas depois não me peça e não me faça promessas. Eu não quero ouvir e não vou acreditar em suas palavras. Não revele seu nome e estrague tudo, eu posso prever futuros erros.
Este momento basta para eu me perder em você e tornar-se inesquecível. Eu lembro, já me perdi assim.

sexta-feira, 23 de abril de 2010

Meus agradecimentos a http://inconstantbutterfly.blogspot.com/

Regras:

1) Por que você acha que mereceu esse selinho?
Escrevo com a sinceridade das palavras e procuro brincar com a criatividade, na perspectiva de que os leitores se identifiquem e sintam-se atraídos pelo texto.

2)Na sua opinião qual post de seu blog é merecedor de um prêmio?
O texto abaixo rendeu ótimos comentários e considero um dos melhores.
http://graf-fite.blogspot.com/2010/04/vende-se-saudade.html

3)Do blog que te indicou, o que mais te agrada? Ele merecia o blog de ouro?
O blog da Priscila é lindo, com uma combinação perfeita de imagens e ótima qualidade de textos. Com certeza ela mereceu esse selinho.

4)Passando para:
Coisa de menina
Blog, coffe and cigarretes
Liddell
C. costa

quarta-feira, 21 de abril de 2010

Vende-se saudade

A manhã me despertou com uma leve suspeita de que a solidão rondou meus sonhos e vigiou a madrugada. Cobrei de mim sensatez e fechei os olhos para não sentir a ausência de uma companhia. E a solidão, sempre tão fiel e insistente, invadiu meu quarto com a essência de sua frieza e entrou sem pedir licença. Vasculhei caixas à procura de cartas e os meus olhos ardiam enquanto eu admirava os retratos na parede, sempre tão cheios de cor, luz e contraste. O que posso fazer com tanta saudade? Talvez jogá-la pela janela ou vender em um mercadinho próximo? Sem alternativas, me rendo e a saudade transborda aos olhos, posso sentir as lágrimas que vão trilhando caminhos pelo rosto gelado. Faz frio aqui e sozinha eu vago pelos cômodos da casa. Pra onde foram todos? Onde estão os abraços, as companhias, as festas e os sorrisos? Onde você está, que nem em cartas eu encontro mais. O telefone no canto da sala, que não toca mais, já se tornou apenas um enfeite. Restam-me, ainda, as emoções encontradas nos livros de romance, que estão espalhados por todo o canto da casa. E se amanhã eu não aparecer nos jornais e não cumprimentar o porteiro com um 'bom dia', saiba, eu morri de saudade.

terça-feira, 20 de abril de 2010

Romper com as regras

"É impossível lutar com o que a alma escolheu"
(Sartre)

Diante deste projeto inacabado de vida, me pergunto quem se importa em ser diferente?
Fica evidente, os caminhos da vida não são trilhados por elementos banais. Não se define uma meta, por exemplo, como quem escolhe entre o cinza e o azul de uma gravata qualquer.
Então por que não impor autonomia às escolhas? Por que não optar pela liberdade e pelo risco? Quem vai se importar e definir meu limite? Qual o sentido de seguir as regras?
Gracioso seria sair ao vento sem a necessidade de um destino, gritando e dançando o ritmo que EU julgo ser o certo. Não me peça para aceitar estas regras hipócritas que vejo lá fora.
Como já dizia Sartre: "O homem é o único mestre dos seus próprios atos e do seu destino".
Sendo assim, deixo que a razão em companhia dos desejos arquitete silenciosamente, planos que podem desnudar as regras e ignorar as etiquetas. Eu cansei disto. Só quero viver meu momento. Deixe-me ausentar-se das regras.

sábado, 17 de abril de 2010

Acendi a luz

Ofusquei os seus erros com os traços de uma perfeição que nunca existiu. E tudo o que foi escondido atrás da sua camuflagem cômica só transpareceu quando acendi a luz. Nunca tive medo do escuro e de você. Mas o descompasso das horas e os seus passos incertos me forçaram a tatear as paredes negras, até encontrar uma luz. E derepente, com minha visão de volta, tudo ficou tão claro.
Eu esperei canções, desejei carinhos e ansiei voar. Belas ilusões que foram despertas com a estupidez de suas palavras.
Tire suas mãos de mim e não iluda seus pensamentos em vão. As juras de uma paixão passageira já não têm valor. Vou indo bem sem você e quando quero ainda lembro do nosso plano para conquistar o mundo, na inocência de nossa pouca idade. E mesmo longe, sei que de mim você não se esquecerá.

quarta-feira, 14 de abril de 2010

Pedi ao sol

Abri os olhos cedo demais. Acordei com os postes ainda iluminando a rua vazia de gente e de carro.
Aguardei a manhã anunciar seu encanto e lucidez.
E, então, já sem suportar a ansiedade, implorei ao sol, a pedido da alma, me deixar iludir, por hoje e por um momento.

Só por hoje, quero relevar as descrenças e relembrar com ironia as desgraças. Quero libertar-me do rancor e lhe oferecer o perdão. Quero liberdade para voar o mundo e crer que o amanhã pode ser mais verde e politicamente correto. Quero acreditar que todo ditador é normal. Quero criticar o conceito da vida, correndo solta e sem previsão.
Quero intensidade, loucura, desejo e amor. Quero chegar sem pagar e sair sem beber.
Quero só por hoje, voltar ao tempo e não ignorar as oportunidades de amar, gritar, sonhar, chorar e sorrir mais.
Mas o sol parece não me ouvir. E com os olhos, enfatizando meu pedido, eu sigo admirando a beleza rara que o define, aguardando o dia em que serei compreendida.

segunda-feira, 12 de abril de 2010

Rir...

E o melhor da vida é que quando tudo passa e a manhã dá o ar de graça eu posso rir das piadas toscas, dos dias que deixaram saudade, da festa que não aconteceu e do chá de cozinha que virou rave.
Rir da sua cara de espanto enquanto eu detalhava uma desculpa inventada, rir de você e dos outros.
Rir das manhãs frias e das tardes alimentadas pelo conhecimento que encontrei em um livro qualquer. Rir dos afetos, das paixões, das flores que recebi depois de um primeiro encontro, rir das verdades que disse sob o efeito de alguma bebida e das mentiras que ouvi enquanto estava sóbria.
E que venha a próxima manhã em sua essência e toda a graça, trazendo consigo o melhor da vida.

domingo, 11 de abril de 2010

A próxima vez que a gente se encontrar,
Eu vou te dar um beijo, sem pensar.
A próxima vez que a gente se beijar,
Eu vou querer o mundo.

sexta-feira, 9 de abril de 2010

Escolha!

E essas manhãs marcadas pela distância de tudo que deixei,
alimentadas pelos sonhos e regadas pelo prazer.
Com uma combinação de medo, desejo, alegria, tristeza, ansiedade, paixão, euforia e realização, as manhãs traçam uma rotina intensa e refletem minhas escolhas.
As escolhas que esbocei e, que, andam de mãos atadas com a renúncia e a saudade.

quinta-feira, 8 de abril de 2010

Você não presenciou a temporada das flores...

Os dias voaram como pássaros desesperados.
Você sempre tão distante e neste tempo todo sonhos foram arquitetados.

Optei por não esperar.
E você não presenciou a temporada das flores, nem viu meus sonhos se concretizarem.
em companhia da solidão eu provei a incondicional essência da vida. E o efeito foi viciante.

Tracei as metas e os caminhos, gritei ao mundo minhas escolhas e briguei também.
Ninguém me entendeu como você.

Andei sem rumo, por ruas desconhecidas e com pessoas sem identidade.
Vivi a noite e aguardei o amanhecer, sentada na grama de um parque qualquer.
Você não soube de nada e nem das outras coisas.
Um dia eu desejei contar tudo, com o maior dos entusiasmos. Mas só aí eu notei, faz tempo que eu me perdi de você.

Não há arrependimento. Não há rancor.
Só traços de um amor.
Vou vivendo os dias a milhas distante.

Eu tenho meus temores, aonde ir.
Mas não volto atrás.
Apague a luz e tente dormir.

Sem mais, eu fico aqui.

quarta-feira, 7 de abril de 2010

Efeito silêncio...

Pior que uma voz estridente que cala é um silêncio tranquilo que grita.
Instantaneamente e com gestos articulados, silêncios evocam com vozes de desinteresse e recuso, o esquecimento e a indiferença.
Quantas palavras são cegas pela quietude e quantos planos são processados mentalmente.
E ele continua ali, imutável. Inflexível o silêncio.
O único silêncio que perturba é aquele que fala, aquele que idealiza metas que não são partilhadas.
Um silêncio que grita.
Fala.
E fala alto.

terça-feira, 6 de abril de 2010

Flash...

Diversidade de cores, figuras, eventos e motivos.
Os dias. As noites. Os amigos.
Histórias, bebidas e sorrisos.
É tudo o que resta na superfície fina da fotografia.
Os laços invisíveis que havia.
E quando o dia não passar de um mero retrato,
Colorindo de saudade o meu quarto
Só aí vou estar certa, de fato!
Que eu fui feliz.

domingo, 4 de abril de 2010

Entre linhas mal traçadas escrevo a saudade que veio visitar meu coração.
Tanto tempo faz e ainda guardo a impressão de que já vi passar.
Tanto tempo distante.
Quantas noites em companhia da solidão.
Não sei por quê acontece assim e é sem querer.
Se quiseres voltar, volta não.
As frases desta carta são apenas uma prova de afeição.

sábado, 3 de abril de 2010

O compasso incerto do tempo faz tudo valer a pena.
O erro deixa de ser um desperdício.
O ontem já é saudade e o ínicio deixa de ser apenas o início.