domingo, 9 de fevereiro de 2014

Permita-se


Com os pés descalços tocando o chão e sentindo a liberdade na palma da mão eu posso ser o que eu quiser.
Posso fazer da vida uma dança, meiga e travessa.
Ou posso fazer dela apenas uma trilha sonora modesta, ensaiada com algumas notas abafadas.
Posso fazer um sonho durar mais e posso fazê-lo tornar-se realidade.
Posso trocar a harmonia da dança quando as luzes se apagarem. E querer fazer tudo diferente quando elas se acenderem.
O importante é não parar de dançar. Não parar de viver. Para que não envelheças.
Para que não perca a admiração pelas pequenas coisas da vida e para que não deixe de apreciar as boas amizades.
Então, se renda às vontades e permita-se enquanto a dança se faz viva!