quinta-feira, 18 de março de 2010

Um piscar de olhos e já foi!
E tudo foi embora. Tudo o que bastou para deixar a sede de vingança, o olhar distante e a boca sensível a palavras duramente amargas. A acidez da raiva dá asas a imaginação. E faço do inimigo uma raça limitada ao pó negro das cinzas ou, ainda, um banquete de terceira servido aos corvos. Ouvi dizer que a dor, a pior delas a dor amargurada, cria caminhos de envelhecimento na porcelana da face. Mas morreria a fim de saber uma fórmula que evitasse toda a dor, a raiva, o desespero e a ânsia negra que me consome!

Nenhum comentário:

Postar um comentário